Guardo lembranças de dias felizes em minha memória, mas as imagens estão guardadas em caixas de sapato. Não me lembraria exatamente das feições de meus filhos quando pequenos se não buscasse dentro do armário as caixas de sapato. Iberê Camargo diz que “a memória é a gaveta dos guardados”. É na gaveta dos guardados que Iberê guarda suas lembranças e suas imagens, as minhas estão nas caixas de sapato.



Iberê diz também que “o importante é encontrar a magia que existe nas coisas, na vida”. Sendo assim, não importa onde as lembranças estão guardadas. O importante é resgatá-las e reviver a magia do tempo através das imagens, e nada é mais gratificante que transformar estas lembranças em poética através da gravura, com os inúmeros recursos que a técnica nos proporciona.



Em 2006, durante aulas e orientações de gravura que recebi da gravadora e professora Ms. Márcia Santtos, iniciei uma pesquisa tendo como tema principal o idoso e o convívio saudável entre gerações. O resultado deste trabalho é a poesia que pode ser visualizada nas imagens aqui postadas, encontradas em caixas de sapato e transformadas.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Um comentário:

  1. Que legal , a senhora é uma profissional para desenhar ! Parabens

    ResponderExcluir